Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estou só a dizer coisas ...

um espaço para a reflexão e partilha ...

Estou só a dizer coisas ...

um espaço para a reflexão e partilha ...

como perder pneus em dois dias

Tri, 14.07.21

Estavam à espera da receita de uma dieta milagrosa qualquer, não era?! Desculpem, enganei-vos. 

Tenho andando ocupada a resolver problemas em casa que parecem como cogumelos: nascem em todo o lado.

Ele é lâmpadas a fundir, é rodapés a descolar que têm que ser refeitos, é uma parece que decidiu descascar e tenho que voltar a lixar tudo, pôr massa e pintar (sim que eu virei uma empreiteira top ..vá, top top não mas desenrasco vá), problemas muito diversos que me têm ajudado entreter (estava mesmo a precisar, realmente).

A juntar a isso tive uma bela surpresa que das duas uma, ou tive mesmo muito azar, ou alguém me quer dar algum recado…

Estive uns dias fora e deixei o carro estacionado na minha rua, é uma rua de sentido único e tem sempre carros de ambos os lados, toda a rua é um grande parque de estacionamento. Acontece que cheguei na segunda para pegar no carro e tinha um pneu furado, mas mesmo muito furado, o pneu é de uma borracha tão dura e aquilo parecia gelatina (nota-se muito que nunca tive um furo na vida?!).

Ora para resolver o problema toca de pegar no telefone e chamar... (assistência em viagem diriam vocês?!) o meu rico paizinho, claro está, para vir ajudar a menina.  Infelizmente o raio do pneu deu mesmo luta porque tinha ferrugem, ou algo assim, mas ainda tivemos um vizinho muito prestável a ajudar.

Neste momento eu já estranhava a situação porque tenho total certeza que o carro estava bem quando o deixei estacionado, andei a dar imensas voltas no último dia e não senti nenhum pneu em baixo, estacionei-o bem, como é que perdeu o ar nestes dias?

O meu pai dizia-me que devo ter calcado algo e ficou a esvaziar estes dias…possível, realmente…

Lá ficou o carro com o pneu suplente que me permitiu arrancar, mas só na terça é que eu conseguia ir tratar daquilo.

unnamed.jpg 

Na terça, às 8h00, chego ao meu carro (que ficou novamente estacionado na rua, ainda que num sítio diferente) e apanho outro pneu furado. Como assim? Qual é a probabilidade?

Desta vez já não me adiantava pedir ajuda ao meu pai porque não havia mais pneus suplentes para substituir, tive que me limitar a chamar o reboque para me levar à casa de pneus e chegar atrasada ao trabalho.

O meu pai continua a achar que posso ter pisado algo pontiagudo num pneu e noutro (foram do mesmo lado) e que acabaram por ir esvaziando… mas caraças, dois pneus? Dois dias seguidos? Que raio de azar …

Simplesmente acho muito estranho mas eu também nunca tinha tido um furo na vida, agora, de repente, já fiquei com dois na coleção.

Vamos lá ver se sobrevivo sem mais nenhum o resto da semana. (afinal de contas o carro tem quatro pneus…)

as frases que me tiram do sério

Tri, 18.09.17

1. "Tem calma"

O "tem calma" é daquelas coisas que me faz subir a tensão de forma quase imediata.

Das duas uma, ou eu nem sequer estava nervosa (apenas a apresentar algum ponto de vista com mais convicção!!) e fico automaticamente irritada; ou se estava a ter um ataque de ansiedade (porque o GPS nunca funciona quando deve e já estou à 2h às voltas…por exemplo, só como exemplo) então perco a cabeça.

 

Eu nem sou pessoa de me irritar de facto, mas o ‘tem calma’ tem um poder quase super-heróico de ligar um botão dentro de mim para me fazer perder a paciência.

Mas porquê?!? Porque é que têm que usar essa expressão?! Por acaso alguém acha que por dizer calma em voz alta resolve automaticamente todos os problemas existentes e que a pessoa com quem falam fica de tal modo aliviada que nem precisa de meditação?!

 

2. "Então, como te correu o dia?"

A sério?! Ainda mal cheguei, ainda não me sentei e querem que eu faça um resumo do dia?! E quem disse que eu quero, se calhar o dia nem foi assim tão bom e o que quero é esquecê-lo e não revivê-lo de ponta a ponta. Se foi bom e empolgante vou querer contá-lo à minha maneira, cheio de histórias, pormenores e parvoíces.

Portanto não me peçam resumos. 

 

3. "Não stresses"

Mas por acaso o facto de eu comentar que o condutor do lado (que se está a tentar meter na fila á nossa frente) que sofre de ‘chico-espertismo’ significa que já estou stressada?! Stressada é deixarem-me ficar horas presa no trânsito a perder preciosos anos de vida.

Só porque uma pessoa comenta certos e determinados problemas do dia-a-dia (trânsito, filas de supermercado e afins) não significada de forma perentória que já está stressada….mas se continuam irá fazer quase o mesmo efeito de ‘Tem calma!’.

No_Stress.jpg

 

o luxo do tempo

Tri, 07.03.17

O tempo de hoje passa a voar, quantas vezes não demos por nós a comentar “Já é natal? Este ano passou a correr!”. 

tempo a fugir.jpg

E de facto assim é, a vida é vivida a um ritmo alucinante que por vezes nem nos apercebemos, não desfrutamos de pequenas coisas porque temos que ser polivalentes e omnipresentes e ir num instante para qualquer outro lado.

 

Mais do que os bens materiais que se possam adquirir e colecionar, o tempo é de facto o maior luxo dos dias de hoje.

 

O tempo para estar sem preocupações; o tempo para disfrutar da companhia de alguém; o tempo para poder simplesmente não fazer nada, sem correrias, sem responsabilidade nem compromissos stressantes.

A vida evoluiu, como não poderia deixar de ser, com a evolução do mundo, e nós tentamos abarcar tudo e fazer de tudo e quando nos apercebemos, não estamos a viver a vida, estamos a passar por ela.

 

Fazemos tudo a correr, em piloto automático porque já estamos dessa forma formatados; vamos a correr buscar os miúdos para ir a correr ao supermercado; vamos a correr ao dentista/cabeleireiro, enfim, porque temos a casa para arrumar; fazemos qualquer coisa simples para o jantar, a correr, para termos tempo de ir a um cinema; vamos a correr ao ginásio na pausa de almoço para rentabilizar o tempo; saímos a correr do trabalho para podermos tomar um copo com um amigo, a correr, para voltarmos a casa e preparar tudo para um novo dia …que este já passou, a correr.

 

Acumulamos compromissos, preenchemos todos os tempos livres, temos a sensação que o dia é cada vez mais curto e que não chega para todos os afazeres, o ano passa a voar e temos a sensação que tudo o que temos para fazer não cabe no tempo que temos disponível.

 

O estilo de vida que temos hoje é assim, acelerado, muito diferente do vivenciado á poucos anos atrás, no entanto, para acompanhar o desenvolvimento do mundo temos que nos desenvolver pessoal e profissionalmente preenchendo de tal forma a nossa agenda, vida e cabeça que temos a perceção que o tempo acelera, mas não, na verdade a nossa perceção temporal só muda devido aos inúmeros compromissos que temos presentes no nosso quotidiano que não nos permitem assimilar o passar do tempo de forma mais tranquila.

 

Acredito que tal ritmo não se consiga alterar agora, não no caminho evolutivo que segue o mundo, em que conseguimos estar “presentes” em diferentes eventos e a falar com diferentes pessoas sem realmente ESTAR, por meio das diversas redes sociais e de comunicação existentes, no entanto, creio que é fulcral para o bem-estar pessoal e emocional conseguirmos distanciar-nos destas rotinas, destas vidas aceleradas e parar! Aproveitar o momento, aquele verdadeiro que está acontecer naquele momento connosco, não qualquer outro que alguém está a vivenciar e nós a comentarmos.

 

Tirem férias, descansem, disfrutem, vivam a vida!