Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estou só a dizer coisas ...

um espaço para a reflexão e partilha ...

um espaço para a reflexão e partilha ...

Estou só a dizer coisas ...

18
Mai18

update

publicado por Tri

slowliving.jpg

Tenho muitas saudades de escrever aqui no blog.

 

A verdade é que, como já referi inúmeras vezes, o tempo é algo difícil de gerir e, eventualmente, não o estarei a fazer da melhor forma.

E então que tenho feito?

Infelizmente, de forma bem resumida é só trabalho, trabalho e mais trabalho.

 

Pendentes acumulados, prazos para cumprir, muita ansiedade e nervos com que lidar…não sei para onde me hei-de virar.

 

A juntar a tudo isso existe o facto de as novas tecnologias existirem para facilitarem a nossa vida, de tal forma que estamos sempre contactáveis em qualquer lado (e toda gente sabe isso!), logo enviam um e-mail e exigem ter a resposta nos 5 minutos seguintes.

 

Mas já ninguém tem paciência para esperar?!? Pelo menos, o tempo mínimo admissível…

 

Temos tudo demasiado disponível na vida. É tudo demasiado confortável.

 

Slowliving!? Estamos a perder! A perder o ritmo lento em que as coisas apareciam feitas (e bem feitas) mas sem a imposição dos dias atuais, em que nos exigem uma ocupação constante, conexão a tudo e todos, coisas rápidas e imediatas.

 

Espero profundamente que seja uma fase e, depois, espero voltar à ‘programação habitual’.

 

Só me apetece fugir daqui, isolar, respirar fundo e esperar que tudo desapareça e que quando eu voltar tudo tenha passado…

14
Mai18

reflexão #53

publicado por Tri

"Todos nascemos filhos de mil pais e de mais de mil mães, e a solidão é sobretudo a incapacidade de ver qualquer pessoa como nos pertencendo, para que nos pertença de verdade e se gere um cuidado mútuo. (...) Somos o resultado de tanta gente, de tanta história, de tão grandes sonhos que vão passando de pessoa a pessoa, que nunca estaremos sós."

 

Valter Hugo Mãe

in "O filho de mil homens"

09
Abr18

reflexão #49

publicado por Tri

"Os filhos, pensava ele, são modos de estender o corpo e aquilo a que se vai chamando alma. São como continuarmos por onde já não estamos e estarmos, passarmos a estar verdadeiramente, porque ansiamos e sofremos mais pelos filhos do que por nós próprios, assim como nos reconfortam mais as alegrias deles do que a satisfação que directamente auferimos."

 

Valter Hugo Mãe

in "O filho de mil homens"

02
Abr18

uau

publicado por Tri

E qual não é o meu espanto quando, hoje, chego ao sapo e tenho um post meu em destaque...

destaque.PNG

Não estava nada preparada para isto, só me ocorre um grande OBRIGADA!

A toda a equipa sapo e todas as pessoas que por aqui vão passando e deixando o seu comentário ou e-mail mais personalizado.

Quanta gentileza desse lado...obrigada mesmo, foi um mero desabafo neste cantinho que costuma ser muito recatado.