Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estou só a dizer coisas ...

um espaço para a reflexão e partilha ...

um espaço para a reflexão e partilha ...

Estou só a dizer coisas ...

21
Nov17

o amor

publicado por Tri

images.jpg

O Amor é algo curioso. É-nos natural, mas precisamos que nos expliquem como. Apanha-te sem estares à espera. Chega devagar para te provar que reside nas pequenas coisas, nos pormenores. O amor é muito como aprender a andar. Precisamos de confiar na pessoa, agarrar a mão e dar um passo em conjunto. Precisamos de ter coragem para pôr um pé à frente do outro. O Amor observa-te, sem desviar o olhar, para que percebas que chegou, chegou para ficar e que já não há volta a dar. O Amor simples, doce, alegre para celebrares a vida com quem te rodeia, com a pessoa que amas.

17
Jul17

o amor não podia ser simples?

publicado por Tri

O amor é muito como aprender a falar, a andar ou a comer. É algo que nos é natural mas tem que ser induzido, tem que ser explicado para que nos habituemos. Precisamos de confiar na pessoa que nos estende a mão e que nos garante paz. Que nos diz que estará sempre ali, com a sua mão na nossa. Precisamos de coragem para acreditar e arriscar, mesmo sem saber para onde vamos; amor é arriscar e ir.

 

Mas porque é que o amor vem sempre acompanhado de sofrimento, de angústia? Porque é que são sentimentos tão opostos mas que andam de mãos dadas? Porque não pode simplesmente ser simples, bonito, ardente, carinhoso.

 

Quando amamos, desejamos muito alguém, o seu bem-estar e a sua felicidade e envolvemo-nos de tal forma que sentimos todas essas conquistas como nossas e todas as falhas e derrotas, de tal forma que dói muito e aperta o coração como se se tratasse das nossas próprias derrotas. Amar é sofrer em conjunto, amar é ter o coração sempre pequenino porque nos preocupamos com a felicidade de alguém tanto, ou mais, do que a nossa própria.

Amar é desejar sempre, e muito, e quando não temos sentimos aquele ‘baque’ no coração que aperta e que dói, dói muito.

 

Não pode o amor ser simplesmente bonito e caloroso? Não pode o amor largar a mão do sofrimento?

Eu agradecia …

amor_.jpg

10
Jul17

amar pelos dois

publicado por Tri

amor.jpg

Amar pelos dois é o mote da canção vencedora do Festival da Eurovisão, não estando aqui em causa a referida canção, que pessoalmente acho belíssima, creio que amar pelos dois é um fardo muito pesado de suportar.

 

Ninguém tem de lutar pelos dois, ninguém deveria ter de lutar pelos dois em nenhuma relação…Acho que sendo assim, claramente, falha o conceito base de uma relação cuja premissa base é a do compromisso, do respeito e comprometimento mútuo de duas pessoas que têm o mesmo objetivo em comum. Se uma das pessoas deixa de partilhar esse objetivo, então o desfecho começa a traçar-se como fatal, ainda que possa ter um retrocesso.

 

O que não pode nunca ter, ou não deveria ter, é alguém que desistiu de lutar e um outro alguém que se auto propõe a lutar pelos dois.

 

Uma relação não é por defeito desenhada com base na perfeição, não é sonhada e depois tudo acontece; uma relação deve ser construída, reforçada constantemente, tudo deve ser esclarecido e clarificado sempre que necessário.

 

O Amor, apesar de crucial, de facto sozinho não chega … É necessário a entrega constante, a partilha, o reorganizar de prioridades e tornar “o outro” também uma delas.  E se amar, de facto, não chega, amar pelos dois não trará certamente futuro; se o outro perdeu o entusiamo, se não partilha dos mesmos objetivos de vida, se não quer atingir as mesmas metas e o seu amor se desvaneceu, então de nada adianta o esforço de tentar amar pelos dois e remar a bom porto.

 

Eu acredito plenamente em relações felizes; mais acredito no ‘felizes para sempre’ porque presencio muitas dessas relações e é lindo de ver um casamento de 30, 40 ou 60 anos com o carinho da adolescência ainda presente.

Eu acredito no amor e em tudo o que alimenta o amor e que deve comandar a nossa vida diariamente.

Acredito que há amores para a vida “até que a morte os separe”.

 

Mas também acredito que o “para sempre” é demasiado tempo e demasiado relativo, e que há amores que só são eternos enquanto durarem. E há que aprender a viver com isso e perceber que da mesma forma que há amores eternos, também os há com data de início e de fim, e que isso não tem que ser propriamente mau, apenas temos que entender e aceitar que juntos não são felizes e que deve, cada um, procurar a sua felicidade.

06
Jun17

ser feliz

publicado por Tri

“O ser humano nasceu para ser feliz” é uma das afirmações que mais se ouve e uma das premissas mais consensuais do nosso tempo. Atualmente, a discussão sobre este assunto passa muito pela reflexão do que é ser feliz, sendo que cada indivíduo terá a sua resposta muito pessoal a esta questão, pois a felicidade, num certo ponto de vista, é pessoal e intransmissível. Por outro lado, há uma ideia quase que pré-concebida de felicidade, que faz parte do senso comum, onde todos os indivíduos consideram que ter felicidade é ter saúde, amor, família, dinheiro suficiente, etc.

 

Evidentemente que a ideia de felicidade não é um conceito recente, já se discute à muitos anos, e mais do que isso, existe uma preocupação constante e inquietante: ser feliz é um desejo do ser humano ou um direito?!

 

Só o Amor faz dos seres humanos seres pessoais, capazes de se entenderem, de se tolerarem, de se respeitarem, de constituírem compaixão, justiça e perdão. Desta forma, quem não ama não consegue, não pode, ser feliz, por mais que tenha, por mais que seja. Quem não ama vive mal o seu presente e não é capaz do futuro.

 

Aristóteles descortinou a felicidade como “a atividade de alma dirigida pela virtude”, ou seja, pelo exercício da virtude, e não da simples posse. Só na liberdade é possível encontrar a felicidade.

 

A felicidade da liberdade consiste em levar o amor até ao esquecimento de si, na decisão livre e convicta de pôr a felicidade do outro antes da nossa própria. Assim, a felicidade é construída como um projeto com objetivos vitais de base como a solidariedade, a afetividade, a compaixão, o trabalho, a abertura, a cultura…

 

A felicidade é assim, apenas um direito do desejo de ser alguém, de ser para alguém.

29
Mar17

coisas boas

publicado por Tri

 borboleta.jpg

As coisas boas existem e acontecem em todo o mundo, a toda a hora, mas vivemos tão assoberbados com todo o mal e egoísmo que nos rodeiam que nem paramos para nos apercebermos e refletirmos sobre os momentos de alegria.

 

 

A todo o momento podemos parar a azáfama do nosso dia para nos apercebermos, focarmos e apreciarmos o que de bom temos em nosso redor; a beleza natural da paisagem que nos rodeia, as crianças inocentes e felizes a brincarem no baloiço; as iniciativas de solidariedade gratidão e amor que todos os dias acontecem; os nossos entes queridos que podem não o exprimir mas estão sempre junto de nós.

 

 baloiço.png

 

Devemos tentar levar a nossa vida trilhando o caminho do amor, tentando ressaltar o que de bom a vida tem, o bem que nos rodeia, o que é bonito, o que é bom, as pessoas que estão sempre connosco. E depois, guardar todos esses momentos preciosos dentro de nós e recordar, partilha, sorrir e rir de todos eles.

 

Experimente … parar, refletir e apreciar a vida como um todo, vai ver que não custa nada e vai ficar muito mais alegre e de coração cheio.