Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Estou só a dizer coisas ...

um espaço para a reflexão e partilha ...

um espaço para a reflexão e partilha ...

Estou só a dizer coisas ...

27
Jul17

ler é o melhor remédio

publicado por Tri

body_reading.jpg

- Com dor de dentes? Lê que esqueces-te logo da dor

- Tristeza depressiva? Lê uma comédia, muda-te logo o estado de espirito

- Com borboletas e corações a voarem á tua volta? Lê e reforça o teu estado apaixonado

- Rabugento? Lê e o teu humor irá mudar

 

Portanto, acredito que de facto ler é um ótimo remédio (OK! Ainda não cura doenças, é verdade, mas faz tão bem à alma!) e seja qual for o nosso estado de espirito a leitura vai acompanhar, vai melhorar (se escolhermos o tema apropriado claramente). O hábito de ler permite encontrar prazer, aconchego e até amizade nas palavras do escritor.

 

Quando escrevi aqui sobre a minha falta de tempo, ou melhor sobre a falta de tempo para mim, para estar, para me orientar, dediquei depois algum tempo a ler alguns blogs e descobri a Rita e que bem me fez.

Deixo-vos aqui o blog dela com o qual me identifiquei totalmente, com o qual concordo e que me abriu alguns horizontes.

Ler o blog dela não me curou o ‘dilema’, no entanto, permitiu-me começar a arrumar a cabeça (sim, de facto li quase de ponta a ponta como se de um romance se tratasse) permitiu-me começar a pensar e refletir sobre outras questões que me fazem todo o sentido e que, certamente, me vão ajudar a organizar melhor, a definir melhor as minhas prioridades e pôr-me a mim em primeiro às vezes (huuumm, ainda estou reticente com tal…mas prometo tentar, pelo menos uma vez).

 

E, acredito profundamente, que ler é mesmo um dos melhores remédios, pode não curar doenças graves, mas ajuda a manter a sanidade mental, ajuda a desenvolver a imaginação, ajuda a promover o sonho, e mesmo em doenças graves que grande diferença faz esta promoção da estabilidade mental.

25
Jul17

reflexão #18

publicado por Tri

"Não estou à espera de que cada pessoa se consuma num esforço para mudar o mundo. O que peço é que cada pessoa trabalhe arduamente para agir como deve nos limites das suas capacidades únicas."

 

Michael Adamse

in "O Psicólogo de Deus"

24
Jul17

calma precisa-se

publicado por Tri

Preciso de calma!

Apesar de ser das coisas que mais detesto que me digam (é que honestamente não tem esse efeito mas sim o adverso…a palavra calma faz-me irritar).

Sinto que não tenho tempo, ou que o tenho deverás ocupado e, como tal, sinto-o a fugir…

 

Não teoria (e na perspetiva dos outros) tenho ‘bastante tempo’, ‘faço uma boa gestão do tempo’, consigo ‘conciliar tudo na vida’; Na realidade é mais “estou a sufocar mas não consigo dizer que não a ninguém e, de repente, dou por mim comprometida com diversos acontecimentos a que não posso faltar e a correr que nem louca de uns para os outros” (se calhar até posso e ninguém daria pela minha falta, mas eu creio que não posso…).

 

Não é de agora, eu sei, é um defeito (será que é feitio?!) que já me acompanha à alguns anos mas cada vez mais complicado de conciliar. Dou por mim a querer fazer tudo, a querer estar com todas as pessoas e tudo ao mesmo tempo.

 

Não quero dizer com isto que corro os “quatros cantos do mundo” para responder aos compromissos, não de todo, mas é preciso tempo para estar e usufruir de tudo: é a família, os amigos, os aniversários que se acumulam, o ir ‘á terra’ que nunca pode ser uma visita singela sem correr todas as ‘capelinhas’, é o voluntariado semanal, é o trabalho, é o ir aos casamentos e batizados, é o voluntariado mensal, é o receber gente, é o mostrar a cidade ‘a gente’, é as reuniões do voluntariado, é o estar com A tribo, é o estar com O tótó…um sem fim de coisas que me pedem para PARAR, para ESTAR, para SENTIR.

 

Dou por mim a dizer que sim a tudo e todos, e por vezes a correr e sair de um momento com alguém para ir ter com outras pessoas; sinto-me a correr e a despachar visitas e não quero de facto. Quero começar a parar, aprender a parar, a ter paciência, a saborear os momentos e a vida, ter o meu tempo e respeitá-lo.

 

Alguém me disse “ o que não acontecer agora, acontece depois e não faz mal nenhum que não saibas quando. Simplesmente esperas. O dia não tem de ter mais horas e a semana não tem de ter mais dias. Só tens que aprender a ser mais paciente.”

Parece simples a teoria, não é?

beautiful-calm-wallpaper-3898-4118-hd-wallpapers.j

 

18
Jul17

reflexão #17

publicado por Tri

"Os princípios básicos do que é preciso para ser uma boa pessoa não são propriamente ciência espacial. É sobretudo uma questão de bom senso. Basta prestarmos atenção à bondade uns dos outros. Há um reconhecimento imediato do que é a bondade."

 

Michael Adamse

in "O Psicólogo de Deus"

17
Jul17

o amor não podia ser simples?

publicado por Tri

O amor é muito como aprender a falar, a andar ou a comer. É algo que nos é natural mas tem que ser induzido, tem que ser explicado para que nos habituemos. Precisamos de confiar na pessoa que nos estende a mão e que nos garante paz. Que nos diz que estará sempre ali, com a sua mão na nossa. Precisamos de coragem para acreditar e arriscar, mesmo sem saber para onde vamos; amor é arriscar e ir.

 

Mas porque é que o amor vem sempre acompanhado de sofrimento, de angústia? Porque é que são sentimentos tão opostos mas que andam de mãos dadas? Porque não pode simplesmente ser simples, bonito, ardente, carinhoso.

 

Quando amamos, desejamos muito alguém, o seu bem-estar e a sua felicidade e envolvemo-nos de tal forma que sentimos todas essas conquistas como nossas e todas as falhas e derrotas, de tal forma que dói muito e aperta o coração como se se tratasse das nossas próprias derrotas. Amar é sofrer em conjunto, amar é ter o coração sempre pequenino porque nos preocupamos com a felicidade de alguém tanto, ou mais, do que a nossa própria.

Amar é desejar sempre, e muito, e quando não temos sentimos aquele ‘baque’ no coração que aperta e que dói, dói muito.

 

Não pode o amor ser simplesmente bonito e caloroso? Não pode o amor largar a mão do sofrimento?

Eu agradecia …

amor_.jpg

12
Jul17

autárquicas 2017

publicado por Tri

Aii, como adoro esta altura do ano (quando a há), ver os tesourinhos deprimentes que somos capazes de produzir para as eleições que se avizinham.

Este ano é ano de eleições autárquicas e as pérolas publicitárias andam entre nós.

 

Aqui está um político que não mente nem anuncia promessas que não irá cumprir, com Filipe Lopes os carecas irão continuar calvos.

eleiçoes 2017.jpg

 

Parece que ainda não temos vencedor, mas sim um empate técncio no primeiro lugar.

2017.png

E continuam ...

EA 2017.png

 Ehehehe

 

11
Jul17

reflexão #16

publicado por Tri

"Numa sociedade vasta e anónima que parece muitas vezes viver segundo a regra do olhar por mim próprio, é fácil esquecer como pode constituir uma experiência quotidiana de outras sociedade ajudar e ser ajudado por outros."

 

Peter Singer

in "Como havemos de viver?"

Pág. 1/2